EMAGRECIMENTO SAUDÁVEL = DIETA DO HCG + DETOX
Compartilhe :

Olá, estou aqui para esclarecer a dúvida de muitos pacientes que me procuram para fazer a dieta do HCG.

Bom, primeiramente quero definir o significado de “dieta do HCG”.  A tão famosa Dieta do HCG refere-se a um tratamento que busca emagrecimento através do emprego de dieta de baixas calorias associado ao hormônio HCG (Gonadotrofina Coriônica Humana).

Essa dieta é restritiva, portanto o paciente que procura inicia-la não deve estar saindo de outra dieta para embarcar nesta. Trata-se de uma dieta proporcionalmente mais rica em proteínas e fibras, mas sem gorduras de qualquer espécie e com o máximo de restrição de carboidratos (mas eles devem estar presentes, preferencialmente complexos).

Vocês devem questionar que, já que se trata de uma dieta de baixíssimas calorias, qualquer indivíduo perderia peso, não sendo o hcg o grande autor da perda. Estariam certos se não entendesse do mecanismo de ação do hormônio. Nosso corpo é uma máquina que está a todo momento lutando para sobreviver. Em um tratamento onde a ingestão calórica é muito inferior à demanda de energia que o indivíduo precisa para exercer suas atividades, o hcg entra para direcionar a queima para as gorduras ao invés da queima muscular, o que aconteceria em qualquer outra dieta. Uma dieta assim por si só faz perder peso mas pela relativa insuficiência de calorias poderia levar a grande perda de componentes orgânicos de base protéica (músculos e ossos, por exemplo): neste ponto entra a importância do HCG para ajudar o organismo a poupar suas proteínas e voltar-se para a obtenção da energia que precisa para funcionar através da otimização da utilização do seu próprio estoque de gorduras armazenadas. Resumindo: a dieta emagrece e o HCG ajuda a poupar as proteínas do organismo.

Outra forma de entendimento do mecanismo de atuação do HCG é através da inibição, no fígado e músculo, de enzimas envolvidas na glicólise e na esterificação de ácidos graxos; por este motivo, como o organismo fica menos capaz de aproveitar a glicose como fonte de energia e prejudicado em armazenar gordura nos adipócitos, acaba por otimizar a queima da gordura disponível: ou seja, se esta gordura não vier da dieta, terá que ser provida pelo próprio organismo, através da liberação das suas reservas.

Um ponto importante a ser levantado aqui é o tipo de HCG. Por se tratar de um hormônio que é expelido pela urina de qualquer animal grávido, ele pode ser facilmente extraído de qualquer urina animal, cristalizado e feito pílula ou gotas com a substância. Portanto se algum dos leitores estiver interessado em adquirir esse hormônio para uso, oriento que não o comprem de fornecedores via internet, principalmente se for economicamente mais viável, pois este hormônio é comercializado apenas para médicos ou para pacientes em que seu médico indica o fornecedor. Cuidado!

Trata-se de método inovador e inteligente, sem medicações que “viciem” o organismo ou que deem efeito rebote. Porém, como em qualquer outra dieta, se o paciente volta a ter hábitos de vida ruins, o peso perdido pode voltar sim.

O mais interessante é que o tratamento acaba por esculpir o corpo do indivíduo, diferente de uma lipoaspiração, por exemplo, em que a perda da gordura é localizada apenas onde a cânula aspira. Com o HCG a perda é simétrica, um pouquinho em cada ponto, dos pés à cabeça. E como a perda de peso é direcionada para gordura e gordura é leve, bem mais leve do que músculo, visualmente o paciente perde mais peso do que o revelado na balança. Muitas vezes a semana em que o paciente perde menos peso é aquela em que ele perde mais medidas, bom demais.

Bom, até agora só falei da hormonioterapia e é empolgante ler tudo isso e saber que a maioria de nós pode fazê-lo, porém, nada disso adianta se estivermos com nosso organismo intoxicado. A questão é que ninguém sente que está repleto de toxinas porque não temos sintomas, ou quando temos, já estamos exageradamente carregados de impurezas, metais pesados, agrotóxicos, resíduos de anticoncepcionais e conservantes que acabam atrapalhando o funcionamento do hormônio no emagrecimento. Acontece que estas substâncias “encardem” os receptores que deveriam estar ligados ao hormônio e quando o HCG tenta se conectar, o receptor está ligado com uma dessas substâncias. Outra questão é que não é com qualquer desintoxicação que conseguimos “limpar” ou “varrer” essas toxinas dos receptores. É algo bem mais complexo que precisa ser feito com medicações apropriadas e eu sempre indico um bloco de desintoxicação através de medicamentos feitos via inalatória por 5 a 10 dias. Alguns pacientes chegam a referir leveza, outros aparecem com a urina bem escurecida até negra ou espumosa devido a toxinas que são eliminadas via urinária.

Outro ponto importante é utilizar além do tratamento via oral e inalatória, associar o tratamento injetável e ortomolecular para potencializar ao máximo a perda de peso.

O paciente que busca fazer esse tipo de tratamento deve inicialmente ter seu perfil hormonal equilibrado, enzimas hepáticas e função renal preservada, não estar grávida ou amamentando e não ter alguma disfunção importante em úteros e ovários.

Para dar certo o tratamento é preciso que o paciente entenda como funcionará cada etapa do tratamento, estar disposto, querer enfrentar este desafio e estar confiante porque sabe dos benefícios que terá no final e que será acompanhado por profissionais capacitados.

Adicione seu comentário ou resposta. Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *