Carregamento: relato do segundo dia

No segundo dia da fase de carregamento, me sinto tão carregada que pensar em comer me deixa exausta. Eu já sabia como seria o processo, mas na prática sempre é diferente. Meu psicológico ainda não está completamente preparado para o famoso momento em que devemos ingerir apenas 500 calorias. Porque não sei o que é tanta restrição. Mas há anos que não estou no corpo que de hoje. Isso tudo me frustra e me deixa muito triste. Por isso, estou focada em ir adiante, pois sei que o resultado vai ser maravilhoso.

Vejam bem, está tudo certo se algumas pessoas gostam de estar acima do peso, não veem problemas com isso, sentem-se bem, estão felizes em ser plus, mas também não existe um problema se você não gostar de nada disso, e preferir um corpo diferente. Eu, particularmente, sinto a necessidade de emagrecer. Minha autoestima só vai voltar a ser o que era, se eu conseguir atingir meus objetivos de emagrecimento. E além do mais, a fase do carregamento tem suas vantagens também, então vamos em frente.

Não espero ao término do protocolo estar uma grilinho de tão magrela, sei que não condiz com meu biotipo. Mas pelo menos espero estar servindo em minhas roupas. Aquelas que estão me aguardando em meu guarda roupa. Então é isso, eu aproveitei como nunca a fase de carregamento.

Comi o que tinha vontade. Amei cada alimento ingerido. Pizza, pão, chocolate, bolacha, lasanha, batata frita e muitas outras coisas. Apesar disso, sempre priorizei alguns alimentos ricos em gorduras mais nutritivas: chocolate amargo e abacate.

Acabei engordando um pouco neste início de carregamento, eu fiquei um pouco preocupada, mas sei que neste próximo momento as coisas vão ficar mais difíceis. Amanhã é faca na caveira, vão ser 21 dias, mas passam rápido. Então bóra lá!

Adicione seu comentário ou resposta. Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *